É SÓ FAZERMO-NOS DE MORTOS ANTES DE MORRER

José Gameiro, 69 anos, psiquiatra, na sua coluna, da revista do Expresso, Diário de um Psiquiatra tratou de um tema em que nunca, segundo o próprio, teria pensado muito: ENVELHECIMENTO.

Pode ler a reflexão na edição 2385 do Expresso ( 14 de julho).

Não resistimos… fique com um pouco da prosa, sempre envolvente e experiente, de quem sabe da escrita e da vida humana:

“Envelhecer podia ser como voltar à infância, esquecer as regras, transgredir, acharem-nos muita graça e dizerem: ‘Não há problema, com a idade amadurece.’ Neste caso, a frase certa seria ´Mais cedo ou mais tarde apodrece e vai para o lixo.’ E agora até reciclam a nossa carcaça, bem queimadinha, volta á terra ou é lançada ao ar ou ao mar. 

Mas o melhor destes pensamentos tontos sabem qual foi?

Foi descobrir que a velhice pode ser uma coisa divertida, se soubermos usar e abusar dela. 

Como é que isto se faz? Não é difícil. É só fazermos-nos de mortos antes de morrer. Passamos a ouvir só o que queremos, a reagir só mesmo quando vale a pena, deixamos algumas pessoas a falarem sozinhas., só cumprimos os compromissos que nos interessam, os outros ou não os percebemos ou nos perdemos no caminho…

Ms há um pequeno pormenor que faz toda a diferença. Convém ter alguém com quem tenhamos uma grande cumplicidade, a quem podemos dizer tudo ou quase tudo.

E que um dia, se for necessário, nos dá um jeitinho.”

 

 

Foto: https://www.jornaldenegocios.pt/

Também poderá estar interessado

Sem comentários adicionados

    Responder