RAMALHO EANES – 83 ANOS – QUANO SE OLHA AO ESPELHO

“Quando olho para o espelho, além de verificar que estou velho, entendo que estou em paz comigo mesmo.

Posso ter cometido erros, mas entendo que os cometi quase sempre com bom propósito, boa intenção, com uma correção ética preocupada.

(…)

Hoje sou um velho mais velho com a mesma preocupação. Entendia que íamos criar uma democracia que não fosse meramente formal, procedimental, mas profunda, em que reconhecêssemos o mérito, respeitássemos a dignidade e se impusesse a todos uma ética do bem comum. Isso era um pouco utópico, reconheço hoje, mas era o que eu e muitos dos meus camaradas pensávamos. Pensávamos que podíamos criar um desenvolvimento económico com um Estado social que não deixasse ninguém para trás. Isso infelizmente não aconteceu, muitos foram os que deixámos para trás e deixamos ainda.”  (E, 03/02/2018)

 

 

FOTO: OBSERVADOR

Também poderá estar interessado

Sem comentários adicionados

    Responder