Artigo

Alzheimer Europe descreve o ponto de situação das políticas sobre Demência na Europa

Alzheimer Europe descreve o ponto de situação das políticas sobre Demência na Europa
 
Alzheimer Europe lança um novo relatório, “Dementia Monitor 2020”, que transmite uma visão geral das respostas dos países europeus aos desafios colocados pela Demência.
O relatório “Dementia Monitor 2020” da Alzheimer Europe transmite uma visão geral dos países da Europa, descrevendo as suas respostas à demência, em 10 áreas, que incluem os cuidados e serviços de apoio, a participação em pesquisas europeias, políticas e proteções legais. O relatório foi desenvolvido pela Alzheimer Europe, com a colaboração das Associações-Membros nacionais.
Já em 2017, a Alzheimer Europe tinha publicado um relatório semelhante, onde estabeleceu uma referência para os países, tornando possível a identificação de mudanças no panorama da Demência nos últimos três anos.
Alguns destaques importantes do relatório “Dementia Monitor 2020” incluem:
– Os serviços de assistência e suporte continuam a estar disponíveis de forma insuficiente, apesar de existirem pequenas melhorias desde 2017
– A maioria dos serviços de atendimento e apoio continuam a receber algum apoio financeiro do Estado (seja totalmente financiado ou co-financiado)
– Um maior número de países está a envolver-se em processos de políticas concebidos para priorizar a demência, por exemplo, através do desenvolvimento de estratégias para a demência
– Os países da Europa Central e de Leste continuam com menor representação nos ensaios clínicos relacionados com a Demência
– A maioria dos países continua a ter um baixo nível de proteção legal em vigor para garantir os direitos das Pessoas com Demência e/ou dos seus Cuidadores, especialmente em relação a questões de emprego
– Continua a haver diferenças significativas entre os países da Europa Ocidental e do Norte e os da Europa Central e de Leste relativamente às respostas governamentais para a Demência
Sobre o lançamento deste relatório, Jean Georges, Diretor Executivo da Alzheimer Europe, afirmou:
There is a mixed picture emerging from the Dementia Monitor 2020. Whilst we have seen some minor improvements in the availability and affordability of care since the 2017 Dementia Monitor, it remains the case that overall, too many services remain insufficiently available.
 
Whilst progress in the areas of policy and international commitments are certainly welcome, it is evident that there is still much work to do in order to translate commitments on paper into everyday reality for people living with dementia.
 
The number of people with dementia in Europe is likely to double by 2050, increasing from 9.78 million to 18.8 million. People with dementia and their carers must be supported throughout the duration of the illness, from the point of diagnosis through until the end of life. If this is to be achieved, particularly in light of an inevitable increase in demand for supports and services, we must see significant investment in health and social care systems to fix the shortcomings in the availability and financial support, as well as securing their long-term sustainability.
 
Alzheimer Europe strongly calls upon the EU to use its Cohesion Funds, including the EU4Health programme, to support Member States to address the identified gaps in care and support services for people living with dementia.” 1
Pode descarregue AQUI o PDF do relatório
“Há um  retrato misto que emerge do relatório Dementia Monitor 2020. Embora seja possível identificar algumas pequenas melhorias na disponibilização dos e na acessibilidade aos cuidados desde o relatório Dementia Monitor 2017, continuam a ser ainda muito poucos os serviços disponíveis.
Embora os progressos nas áreas da política e dos compromissos internacionais sejam certamente bem-vindos, é evidente que ainda há muito trabalho a ser feito para se transpor os compromissos que se encontram no papel para a realidade diária das Pessoas que vivem com Demência.
O número de Pessoas com Demência na Europa provavelmente duplicará até 2050, passando de 9,78 milhões para 18,8 milhões. As Pessoas com Demência e os seus Cuidadores devem receber apoio durante todo o processo da doença, desde o diagnóstico até ao fim da vida. Para que isso seja alcançado, especialmente à luz de um aumento inevitável na procura por apoios e serviços, devemos ver um investimento significativo nos sistemas de saúde e assistência social, de modo a corrigir as deficiências na disponibilização de apoios e suporte financeiro, bem como garantir a sua sustentabilidade a longo prazo.
A Alzheimer Europe apela veementemente à União Europeia para que use os seus Fundos de Coesão, incluindo o programa EU4Health, para apoiar os Estados-Membros a resolverem as lacunas identificadas nos cuidados e serviços de apoio às Pessoas que vivem com Demência.”
FONTE: Alzheimer Portugal
80 views

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail