Artigo

Andie MacDowell: “Não quero fingir que sou jovem”

Conheça as interessantes declarações de Andie MacDowell à Vanity Fair:

“Culturalmente fizeram-nos acreditar que quando vais envelhecendo, pensas menos em ti. Não acho isso. O respeito, a dignidade e a liberdade são coisas que estou a viver ao máximo agora, nos meus 60. Alcancei o meu conceito ideal de liberdade, não perdi nada ao envelhecer. Bem pelo contrário: ganhei muito. Sinto que essa é a recompensa por ter chegado a esta idade.”

“Sinto que se continua a perpetuar a ideia de que, nós, mulheres, temos que ser diferentes do que somos quando envelhecemos, porque não somos suficientes. Durante anos vimos filmes com homens mais velhos, de cabelos brancos, ao lado de mulheres muitos mais novas e aceitámos este modelo. Aceitámos que podemos ser postas de lado a partir de determinada idade, que somos descartáveis. Ensinaram-nos isso e não nos opusemos. Agora temos oportunidade de nos aceitarmos e de sermos felizes pelo que somos. Era uma questão cultural pensar que havia alguma coisa de errado comigo por ter certa idade. Temos que fazer o que fazem os homens: aceitar a idade de maneira mais despreocupada. Acredito que é importante ter o mesmo poder e a mesma força que eles têm quando envelhecem.”

“O que me deu confiança foi não ter que fingir ser algo que não sou e ao deixar de fingir, encontrei muita força. Sinto-me cómoda tal como sou. Não quero fingir que sou jovem, quando o fiz foi doloroso e incómodo. Sinto-me muito melhor quando abraço a minha idade.”

“Envelhecer é um processo muito difícil, sobretudo para as mulheres. As pessoas julgam muito. É uma viagem psicológica muito complicada e devemos aprender a não julgar e a sermos nós mesmas, a ser autênticas, a sermos quem quisermos ser”.

 

FOTO DE CAPA: STEPHANE CARDINALE – CORBIS/GETTY IMAGES

332 views
cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail