Artigo

“Longevidade, viver mais e melhor”. Santa Casa participa em projeto do Expresso

Durante 2022, o Expresso irá trazer para o domínio público o tema da longevidade e os possíveis efeitos na sociedade. A iniciativa pretende colocar a matéria na agenda pública e posicionar Portugal a nível europeu para estas questões. Provedor da Santa Casa integra o Conselho Consultivo do projeto.

 

O projeto do Expresso pretende avaliar de que forma a longevidade e as respetivas políticas públicas estão presentes em Portugal. Para alcançar este objetivo, o Expresso construiu uma comunidade de stakeholders e parceiros informais que vão trabalhar e debater os temas da Longevidade. Paralelamente, foi constituído um Conselho Consultivo composto pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Associação Age Friendly, Agência Nacional de Inovação, Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Dr. António Cupertino Miranda, Fundação Calouste Gulbenkian, Novartis, Fidelidade, Multicare, Impresa, Observatório do Envelhecimento e União das Misericórdias Portuguesas.

Conselho Consultivo do projeto

O Conselho Consultivo do projeto do Expresso “Longevidade, viver mais e melhor” tem como missão apontar caminhos estratégicos para uma mudança gradual e sustentada no que toca ao envelhecimento em Portugal.

A primeira reunião do Conselho Consultivo realizou-se esta segunda-feira, 16 de maio, e contou com a participação do provedor da instituição, Edmundo Martinho, convidado pelo Expresso para integrar o mesmo.

Melhorar o acesso dos mais velhos aos cuidados de saúde é um dos grandes desafios colocados pelo aumento da esperança média de vida em Portugal. Paralelamente, observam-se outros como: o desenvolvimento e implementação de uma estratégia de desenvolvimento para as questões da longevidade; a abordagem sobre o impacto da transição demográfica na saúde e economia e o aumento dos cuidadores que prestam auxílio ao domicílio.

Webtalks

Ainda no âmbito do projeto do Expresso, subordinado ao tema da longevidade, está prevista a realização de seis eventos digitais em formato de webtalk, transmitidos através do Facebook do Expresso, que têm como objetivo debater temas ligados à economia da longevidade.

A primeira sessão destas webtalks decorreu esta segunda-feira, 16 de maio. Organizada em três painéis, a iniciativa contou com a participação de Maria da Luz Cabral, coordenadora do Projeto Políticas Públicas na Longevidade da Santa Casa, Nuno Marques, presidente do Observatório Nacional do Envelhecimento, Luís Jerónimo, Fundação Calouste Gulbenkian, Simon Gineste, presidente do Grupo Novartis Portugal, Manuel Villaverde Cabral, professor e investigador, e Daniel Riscado, responsável do Centro de Transformação da Fidelidade. A sessão foi moderada pelo diretor adjunto do Expresso, Martim Silva.

Um tema de todos

Comecemos pelos números da nossa realidade: Portugal é o quarto país mais envelhecido do mundo. Reflexo das baixas taxas de natalidade e do aumento da esperança média de vida – temos 182 idosos por cada 100 jovens -, a longevidade será um dos temas centrais não apenas da nossa sociedade, como de todo o mundo. Os seus impactos serão transversais: serviços, saúde, habitação, educação, emprego, banca, finanças, tecnologia e turismo, nenhuma destas áreas deixará de ser afetada pelo envelhecimento da população — e pela sua longevidade. Os desafios da chamada ‘economia cinzenta’ são enormes. Basta pensar, por exemplo, no impacto que a redução de jovens no ativo pode ter nos sistemas de pensões dos reformados.

 

FONTE: https://www.scml.pt/

156 views

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado.

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail