Artigo

TEMOS QUE FALAR DA TUA DOENÇA

Quando um ser que nos é querido está doente torna-se difícil gerir as palavras a utilizar.

A nossa melhor estratégia e ajuda passará por usar expressões idóneas.

Ferran Ramón Cortez diz-nos que há que fazer tudo o que estava ao nossa alcance ara estarmos ao serviço da angústia da pessoa doente e não à mercê da nossa. Devemos aproximar-nos com delicadeza de quem sofre e indica três dicas para apoiar a pessoa doente através da linguagem:

  • ESCUTAR – A melhor ajuda que podemos prestar é oferecer os nossos ouvidos e a nossa total disponibilidade. Isto significa criar um espaço em que a pessoa doente possa expressar aquilo de que precisa. Temos que escutar sem julgar, sem evitar as conversações complexas e sem interromper. Assim, a outra parte poderá ordenar as suas ideias e partilhar os seus medos.
  • COMPREENDER – É essencial não dar um só passo sem ter entendido bem o que o nosso interlocutor requer em cada momento. Há que tar atento. Não nos adiantemos e actuemos segundo o que os nós necessitamos se estivéssemos no seu lugar.
  • FACILITAR – Devemos proporcionar ao convalescente aquilo que nos pede, sempre que sejamos capazes de assumi-lo. É muito importante que também cuidemos de nós e não nos ocupemos de tarefas que ultrapassem as nossas capacidades. Se nos sentimos esgotados, o melhor a fazer é pedir ajuda.
41 views

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail