Os artistas mais escutados no mundo por quem tem 60 anos ou mais

A população sênior com mais de 60 anos de idade está cada vez mais integrada às novas tecnologias e em especial à Internet. Ao contrário dos jovens que utilizam a internet para fugir de casa no sentido figurado, os seniores a utilizam para trazer o mundo para dentro das suas salas. E o mundo está ficando cada vez mais interessante a eles graças aos dispositivos telemóveis e tablets. Eles chegaram a ouvir músicas nas grafonolas com seus pais e avós e agora ingressam no mundo digital. As pessoas que hoje estão na faixa dos 65 a 75 anos eram adolescentes entre os anos 1958 e 1968 época de muitas mudanças comportamentais no mundo. O que aconteceu patrocinado e vivenciado por eles naquela época, nos conduziu ao estilo de vida e atitude que temos hoje.

A minha empresa, SeniorLab Mercado & Consumo 60+ e a Deezer, uma das maiores plataformas de streaming de música da Europa resolveram descobrir e acompanhar o gosto musical das pessoas com mais de 60 anos em todo o mundo. Estudamos e monitoramos quais eram as músicas e artistas mais escutados na plataforma. Entre as 58 milhões de faixas disponibilizadas pelo serviço em 128 países, descobrimos quais são os artistas mais escutados. Em Portugal um dos parceiros da Deezer é a operadora MEO que oferece o serviço de streaming de música.

Os Artistas ou Bandas TOP10 60+ SeniorLab by Deezer no mundo são os seguintes em ordem de preferência:

Artistas e bandas como Beatles, Rolling Stones, Queen e o francês Johnny Hallyday que já faziam sucesso nos anos 1960 e o Queen em 1970 compondo os playlists atuais da geração sênior e misturando o rock clássico com a música contemporânea. Estes são nos novos e revolucionários seniores.

Ter a oportunidade de escutar a música que desejam a hora que quiserem é uma experiência nova para eles. O mundo on demand permite revelar um novo perfil de seniores e comportamentos bem distintos do que a maioria das pessoas imaginava a respeito deles.

O Festival Internacional de Criatividade de Cannes de 2018 tratou do tema silver age com um grupo de profissionais de marketing que começam a perceber e quantificar o tamanho do potencial de consumo. Hoje a economia da longevidade é responsável por 20% do consumo de bens de consumo e serviços na Europa. Cada vez mais precisamos entender para melhor atender o grupo de consumo que mais cresce no continente europeu, América do Norte e países da América Latina como o Brasil.

Defendo e divulgo o comportamento para negócios que considere o Aging in Market, expressão que criei para consolidar todas as ciências do marketing, consumo e design, como caminho para melhorar e ampliar a relação de marcas, produtos e serviços com o consumidor sênior.

Martin Henkel, fundador da SeniorLab e head da pesquisa Artistas e Bandas TOP10 60+ no mundo com a Deezer

Também poderá estar interessado

Sem comentários adicionados

    Responder