Artigo

Envelhecimento ativo: um dia na pele de um “grafiter”

Promover o envelhecimento ativo e a solidariedade entre gerações são alguns dos objetivos do projeto Lata 65, que promoveu dois dias de workshop de arte urbana aos utentes de um equipamento da Santa Casa.

Para assinalar o mês do idoso, a Estrutura Residencial Para Idosos (ERPI)) Nossa Senhora do Carmo, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, recebeu os artistas do projeto Lata 65, nos dias 24 e 25 de outubro, que levaram àquele espaço um workshop de arte urbana para seniores. O ponto alto desta ação foi a pintura de um mural, com a técnica do grafiti.

Foram mais de uma dezena de utentes que participaram na iniciativa, que serviu essencialmente para a promoção do envelhecimento ativo e para quebrar o estereótipo de que as pinturas de rua “são coisas de jovem”.

“Tenho quase 90 anos e nunca pensei vir a pintar as paredes desta maneira”, comentava o Sr. Bento, um dos moradores da ERPI, enquanto desenhava um molde para a sua parte da pintura do mural.

“É sempre bom estar junto da rapaziada mais jovem. Nós somos velhos, mas não estamos acabados e estas pequenas atividades, para nós, é como um dia diferente e cheio de alegria”, ressalva o utente.

Nascido e criado na cidade do Porto, António Bento acredita que a atividade de grafitar é uma maneira “de perceber melhor a juventude”.

Durante os dois dias de workshop, os utentes ficaram a conhecer a história e as técnicas da arte urbana, através do grafiti, mas também aproveitaram para desmistificar algumas das questões associadas a esta arte, como a delinquência e o vandalismo.

Já Luísa afirma que “tem sido uma experiência engraçada”, considerando que esta iniciativa serviu para quebrar a ideia de que o grafiti “era feito por jovens que não tinham nada para fazer”.

“Fiquei a saber que existem pessoas que ganham a vida a pintar estes desenhos nas paredes e que existem regras para um bom desenho, que não bastam uns gatafunhos e está feito”, comenta Luísa, durante uma pintura livre.

Para Rita Silva, diretora do equipamento, esta ação é “bastante diferente do já fizemos, mas é também uma maneira de os aproximar à comunidade e de promover-lhes mais um momento em que desconstruímos algumas das perceções que as pessoas têm, de que certas atividades não são aconselhadas às pessoas mais velhas”.

“Acredito e todos nós acreditamos aqui nesta casa que os nossos utentes diferem uns dos outros e para nós o importante é que eles se sintam bem, acarinhados, mas primeiro que estejam ativos e que uma atividade pode ser muito importante para um, mas para outro ser outra atividade completamente diferente e temos sempre de respeitar isso”, concluiu a diretora.

FONTE: SCM LISBOA

111 views
cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail